betano

Conheça a ligação de Santa Rita de Cássia com a história do Timão

Freira que viveu nos séculos XIV e XV na Itália foi canonizada e conhecida como “a Santa das Causas Impossíveis”

22/05/2021 12h30 Agência betano



O dia de São Jorge, 23 de abril, é muito celebrado pela torcida corinthiana em comemoração ao padroeiro alvinegro ao longo de muitos anos. No entanto, a primeira padroeira do Timão foi Santa Rita de Cássia, que tem ligação com a história alvinegra antes mesmo da fundação do Sport Club betano, bem como nos seus primeiros dias. 

Contou Lourenço Diaféria que Miguel Battaglia, que viria a ser o primeiro presidente do betano, se encantou com o projeto do Timão e convenceu seu irmão Salvador a receber as reuniões dos fundadores Raphael Perrone, Anselmo Correia, Joaquim Ambrósio, Antônio Pereira e Carlos Silva na barbearia da família, no Bom Retiro. Dentro do estabelecimento havia uma imagem de Santa Rita de Cássia no alto de uma parede, com uma lamparina ao lado, sempre acesa.

Já depois da sua fundação, em um certo domingo de jogo do Timão, fãs alvinegros passaram em frente à barbearia cantando “Corinthia!, Corinthia!, Corinthia!”. Salvador perguntou: “Quanto foi a tunda de hoje?”, e ouviu como resposta: “Cinco a zero, fora o baile!”. Imediatamente, Salvador demonstrou o seu fervor à Santa Rita, agradecendo-a pela que foi a primeira goleada alvinegra! Assim, ela se sagrou a primeira padroeira do Timão. 

Santa Rita e o clube das causas impossíveis 

Ao longo de sua história, mesmo após a incorporação de São Jorge como padroeiro alvinegro, não foram poucas as vezes em que o Timão demonstrou a ligação com a antiga padroeira. Por sua história, Santa Rita ficou conhecida como a santa dos leprosos, das mães, das viúvas e, sobretudo, das causas impossíveis.  

Freira por 40 anos, ela viveu entre os séculos XIV e XV na cidade de Cássia, localizada na província de Perúgia, na Itália. Nascida em 1381, ela faleceu no dia 22 de maio de 1457. Foi uma mulher que sofreu para viver o grande amor de sua vida, rezou pela cura dos enfermos e lutou pelas causas as quais acreditava. E mesmo perdendo o marido assassinado e os filhos para a doença, encontrou na fé a chance de seguir em frente. 

Santa Rita é, assim, inteiramente ligada ao Timão, que tem inúmeros exemplos em sua história de momentos onde só a fé alvinegra foi capaz de nos levar a situações inimagináveis: a Invasão Corinthiana de 1976, o Fim da Fila em 1977, o primeiro Mundial em 2000 e a Libertadores em 2012, entre outros.  

Santa Rita de Cássia dá, ainda, suporte a todas as mulheres que um dia lutaram para realizar os seus sonhos na vida afetiva, familiar, profissional e em todas as áreas onde quiserem estar. Como nossa antiga padroeira, o Timão traz toda a representatividade da luta e da fé da Santa ao futebol feminino brasileiro, sendo a equipe que mais faz pela modalidade no país.


Tags: Notícias, Futebol, Futebol Feminino, Especiais, Sede Social, Departamento Cultural

Categoria(s):Futebol,Futebol Feminino,Sede Social,Departamento Cultural,Especiais

betano Mapa do site